oportunidade

Por Aleta Nunes

 Desde o início de minha carreira em comunicação, já sonhava em ter a própria agência. Filha de comerciante, sempre tive um tino para empreender.

Até que surgiu uma oportunidade, agarrei-a com toda a força, abri minha agência de comunicação no ímpeto, com muita paixão e otimismo, acreditando que o universo conspirava a meu favor e que tudo daria simplesmente certo.

Sem pesquisa, modelo de negócios e planejamento, lá fomos nós correr atrás de clientes, com muita determinação e para a nossa surpresa realmente a coisa aparentava funcionar.

Alguns clientes entraram e começamos a ter constância nas demandas. Para fidelizar éramos super flexíveis tanto no trabalho quanto na negociação para fechar o job. A flexibilidade era o nosso principal valor, mas o que não sabíamos, no entanto, é que esse formato de negócio era insustentável.

Rapidamente a casa ficou lotada de trabalho, todos sobrecarregados, mas com um faturamento baixo. Não tínhamos reserva para contratações e nem tempo para prospectar novos negócios, fazer networking ou pensar “a empresa”. Ficamos na dependência de alguns poucos clientes e nesse contexto de mudanças qualquer marola já nos abalava profundamente.

Fui percebendo aos poucos que sem pesquisa, aprendizado e planejamento não chegaríamos a lugar algum.

“Não há vento favorável para aquele que não sabe aonde vai”. Sêneca, filósofo romano.

Após 6 anos decidi recomeçar, praticamente tudo de novo, com um outro modelo de negócios, planejando as ações, estipulando metas e sempre trabalhando o relacionamento interpessoal. Percebi que empreender é uma viagem sem fim, sempre com ajustes de rotas e muita aprendizagem ao longo do caminho. Festejando sempre as conquistas diárias e tendo o equilíbrio para seguir em fases difíceis.

Além da paixão, talento e paciência para perseverar, estou aprendendo na prática que o sucesso está relacionado ao planejamento.

Somos de fato os protagonistas da história de nossa empresa.

Aleta Nunes é publicitária de formação e especialista em comunicação. Com 20 anos na área, continua apaixonada pelo que faz, gosta do dinamismo e do turbilhão que a comunicação me traz. Autenticidade e originalidade são valores que traz para tudo que faz. É responsável ­ aliás, somos todos ­ por criar um mundo melhor no dia a dia, ação a ação. Na agência Xyza, é gestora de contas, dá pitaco na criação (adora) e acompanha todos os jobs do início ao fim, sempre atenta a cada detalhe. Faz prospecções e sempre pesquisa novidades do mercado. A Xyza é uma realização, onde deseja transformar pessoas, sociedade e empresas.

Este post foi inicialmente públicado no site:

http://saladacorporativa.com.br/2012/07/do-impeto-ao-planejamento/

1 de agosto de 2012

Do ímpeto ao planejamento – post para o Salada Corporativa

Por Aleta Nunes  Desde o início de minha carreira em comunicação, já sonhava em ter a própria agência. Filha de comerciante, sempre tive um tino para […]
28 de julho de 2012

A nova geração e seu engajamento no trabalho

  Todo mundo já percebeu que a geração Y tem uma relação com o trabalho diferente da sua antecessora. Seja trabalhando em uma empresa high-tech ou […]