Você enxerga a comunicação de sua organização como custo ou ferramenta estratégica?

 

Ainda hoje vemos empresas, essencialmente pequenas e médias, que enxergam a comunicação como gasto ao invés de investimento, e optam por não arriscar onde não há garantia de retorno.

No entanto, o que nem todos sabem é que é possível ter uma comunicação organizacional a um baixo custo e ainda conseguir mensurar sua eficácia com frequência . Mais uma vantagem da tecnologia =).

Li recentemente um artigo sobre ações de comunicação adotadas pelo Serviço de Comunicação do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo (HRAC-USP) para favorecer o diálogo entre a administração e seu público interno. Apesar de se tratar de um hospital, muito da estratégia se aplica às empresas em geral.

Vejam como soluções simples e de baixo custo podem lhe ajudar na gestão estratégica de sua empresa. As ferramentas usadas foram: Mural interno, informe diário via intranet, Blog, Twitter e Facebook.

O mural tem periodicidade semanal e está distribuido em 18 pontos da empresa, o informativo é enviado pela rede interna sem custo direto, o Blog usa a plataforma gratuita do WordPress. Face e Twitter também se utilizam de ferramentas gratuitas na net.

No caso desta instituição, para 77% dentre 743 colaboradores, o mural foi apontado como a fonte primária de informações sobre a organização. O informe é avaliado dia a dia pelos próprios administradores e colaboradores, uma das formas é verificar a quantidade de notícias que eles recebem para a divulgação, isso é um indício do interesse dos públicos estratégicos pelo canal . No Blog a avaliação de visitas é feita pelo próprio WordPress. Quanto ao Face e Twitter, trabalham de forma integrada ampliando as possibilidades, com chamadas que direcionam para o Blog, aumentam sua visitação e criam uma rede de seguidores. A consequência é o aumento de sua abrangência e rede de relacionamento. Através do conteúdo multiplicado, criam-se canais de interação com usuários e daí a possibilidade de se tornarem ativos e interagirem frequentemente com a empresa.

Com um mínimo de investimento e um bom planejamento, você pode melhorar a gestão, criar engajamento e conseguir melhores resultados para a empresa juntamente com a sua equipe. Neste contexto todos saem ganhando. E se não há recurso interno para cuidar destas ações, que tal buscar ajuda com quem entende do assunto?

Quer ler o conteúdo de estudo de caso do HRAC-USP na íntegra? Olha o link aí embaixo!

http://sistemas.rei.unicamp.br/ggbs/conpuesp/posteres/2011104114132.pdf

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *